Uma análise do Livres

Na corrida eleitoral para a Presidência da República, muitos candidatos procuram partidos para concorrerem à eleição, e não é diferente para o deputado Jair Bolsonaro, que fechou com o Partido Social Liberal – PSL, onde estava abrigado o Livres.

Com a chegada do Bolsonaro, os integrantes do movimento Livres, de tendência liberal, deixaram o partido e seguem na luta social defendendo os seus 17 (dezessete) princípios de maneira cristalina, em prol da população, especialmente para uma imediata diminuição do Estado na economia e pelas liberdades individuais.

O Livres defende o direito de cada um escolher o seu estilo de vida, sem imposição de uma visão sobre todos os outros, inclusive, o direito de publicar suas opiniões desde que não promova violência contra terceiros, e a garantia jurídica para não violar direitos por motivo de gênero, raça, credo, etnia, orientação sexual etc. Também é a favor de uma cooperação de mercado com base em um sistema de preços livres e trocas voluntárias entre indivíduos adultos e capazes, pois assim, os direitos de propriedade seriam alcançados de maneira plena, especialmente aos mais vulneráveis de nossa sociedade, pois integra e promove mobilidade social.

Não há dúvidas para o Livres de que, sempre que possível, tudo deve ser feito em favor da redução, simplificação e uniformização dos impostos, jamais permitindo que a carga tributária pese para a população, em especial aos mais pobres, como o IPTU, por exemplo, aumentado de forma monstruosa em 2018. Desta maneira, a responsabilidade fiscal deve ser respeitada sem aumento do déficit público, e as taxas de juros e o valor da moeda devem flutuar de acordo com as relações de oferta e demanda, e a assistência social deve financiar a demanda das pessoas mais pobres e não a oferta de serviços pelo estado, para que haja, efetivamente, um combate à pobreza por meio da inclusão econômica, bem como um apoio ao empreendedorismo.

Também entende que o governo deve respeitar o direito dos indivíduos adultos de consumir alimentos, bebidas e outras substâncias de acordo com suas escolhas, ainda que consideradas nocivas por terceiros. Demais disso, defende a abertura internacional, reduzindo-se as barreiras ao movimento de pessoas, bens e capital entre os povos, buscando sempre a paz, doméstica ou externa.

Por fim, defende que a esfera de atuação que concerne o indivíduo ou a localidade não deve ser transferida a instâncias superiores, bem como o direito a proteger a sua vida e seus dados da maneira que achar adequada, garantindo a igual escolha dos demais. E, por consequência, defende que o voto e o serviço militar devem ser voluntários.

O Livres passou a ser o movimento social mais conhecido do Brasil, pelas características de firmeza nas suas atuações e honradez nas decisões, pelo que o representante interino do movimento, Paulo Gontijo, deixou claro, recentemente, que os participantes do Livres poderão participar das eleições, neste ano, por partidos que respeitem os ideais e princípios do Livres. Assim, conseguindo eleger deputados estudais e federais, fortalecerá as suas bases para a mudança da caótica política brasileira.

Comentários

Comentários