Marcas De Uma Noite

Noite, me assusto com a sua chegada,

Porque trás consigo a dolorosa solidão,

Um peso que não posso carregar,

Nem pensar em vinho, luar e violão,

Os olhos esbugalhados não podem enxergar em meio a escuridão,

A face não pode sentir o macio das suas mãos,

A noite amplia a tortura e,

Além das trevas, me invade com o silêncio cortante,

Uma lâmina penetrando sob as unhas da razão,

E chora constante,

Com o semblante,

E até mesmo com o sorriso,

Que é um implante,

Distante,

Mas cubro a mancha da dor com outra feroz e poderosa,

Deixo o coração surrado,,

Do lado esquerdo, em sua morada,

Do outro, meu peito está marcado e,

Escorrendo pelo braço, os riscos da expressão e do instinto,

Aguardarão a manhã esplendorosa para se renovarem,

E a próxima noite se apresentará,

Assustará, e trará amargura e palpitação,

Minha sombra me abandonará,

E atravessarei sozinho, e

Com os olhos abertos,

Suportarei outras marcas,

Que contornarão as letras da minha poesia,

Ainda que as escreva do chão!

 

 

Créditos: https://www.google.com.br/search?q=noite+e+medo&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjAh4axlY_ZAhXIjpAKHX_QCs4Q_AUICygC&biw=1600&bih=794#imgrc=5r4y_loFvvQxsM:

 

Comentários

Comentários