Autor: admin

Poesias e Poemas

Fora do Ar

Aquela mulher, única, Que sabe todos os seus segredos, E aqueles que você quer contar, Só para ela, Porque ela sabe que está entorpecido com poesia, com tinta e papel, Seja com vinho ou qualquer alucinógeno, Olha da mesma maneira, Como se amasse seus poros, cabelos, Como se ignorasse a política normal, Como se ignorasse a própria vida, Seus compromissos e princípios de construção pessoal, E quero a música alta, Qualquer uma, para que os ouvidos se encham de gozo indecifrável, De sussurros que só eu interpreto, E com os olhos fechados também possa sentir cada tom e toque, Está a caminho, Dirigindo na chuva de todos e, só nossa, Brava, escura, barulhenta, sozinha, amiga, Parceria para a alegria, Meus poros explodem, De qualquer ângulo demonstram, Arte incomunicável e incontornável, Porque essa poesia encara a morte, Não são palavras, Não é científico, É poeta, louco, desvairado, ilógico, Ignorando códigos e sistemas, Ignorando religiões e atos, Gritando na nudez do silêncio, Na pele tatuada de força, de mar, de rochas, Você é aguardada como tema, De uma poesia carnal e de pecados, De algo que morro ao viver!     Créditos de Imagem: https://www.google.com.br/search?biw=1600&bih=794&tbm=isch&sa=1&ei=sGBeWqC3NcmLwgSx1oPABg&q=dois+corpos+sensuais&oq=dois+corpos+sensuais&gs_l=psy-ab.3…10866.13740.0.14814.20.16.0.0.0.0.264.1906.0j9j2.11.0….0…1c.1.64.psy-ab..9.8.1346…0j0i67k1j0i5i30k1j0i24k1.0.5nqufKiAT-8#imgrc=VVn9LM_5Q9wlUM:

Poesias e Poemas

Segunda Alma

Mortificado, Sombrio e Mórbido….. Frio, esquecido no esquife sórdido, No silêncio da dor e no vazio de alma, Rodeiam os coros em alto tom destrutivo, E não altivo, E o soprano estridente se liberta da vida… Disciplinada em partituras impressas e desgastadas, Porque com ela não combina… E assim, o corpo observado sem pressa, Pelos olhos de quem contesta, A imóvel esperança, agora funesta… E devolve, com as mãos estendidas, O pergaminho rabiscado de paixão e ternura, Sem amargura, Para a segunda alma que tanto procura, E devolve a voz àquela alma, Outrora muda, Agora, escancarada e desnuda!   Créditos de Imagem: https://www.google.com.br/search?biw=1600&bih=794&tbm=isch&sa=1&q=alma+carregando+outra+alma&oq=alma+carregando+outra+alma&gs_l=psy-ab.3…36202.40382.0.40564.26.23.0.0.0.0.315.2759.0j11j4j1.16.0.dummy_maps_web_fallback…0…1.1.64.psy-ab..10.5.974…0j0i67k1j0i5i30k1j0i8i30k1.0.PPiHqqlAQT8#imgrc=WQUWAf_0EpSjZM:

Poesias e Poemas

Penetração

Você se produz para isso, Demonstra a forma, Uma tatuagem, Um bom cheiro, Bem vestida, Provocante… Um sorriso de quem, Com os lábios semi-abertos, Aguarda um beijo de verdade, Úmido e quente, Continuado… De perspectiva corporal, Que continue pela pele, Que penetre além do ambiente da música e pessoas… Que seja descoberta… Poro por poro, E que seja trazida ao peito, Com força e delicadeza… Desacorrentada da própria liberdade, Mas aprisionada ao encanto da paixão!   Créditos de imagem:

Poesias e Poemas

Lágrima e Tesão

São meus os seus olhares, Sob o som de rock e seus acordes, Beijos intensos como mares, E movimentos precisos e tão concordes, Álcool ou água, não importa mais, Os sentidos aguçam uma força, Que não acorrento jamais, Ali, seu corpo tremendo, Num movimento voraz, Sou algoz da sua sede, Negando um líquido, Que em indiscreta quantidade se perfaz, Beijo seus olhos de salgada expressão, Lágrimas que transbordam amor, De indescritível e incontido tesão, Ainda rasgo a sua pele, Com sussurros e gritos, E arranhões na minha alma, Deixam de ser conflitos, Somos um só na pele manchada, Pelo atrito que não se acalma, Ofegante, Gritante, Gigante, Bastante, Explodindo na sua carne, Com ardor e alarde, Rompendo mundos sem ser covarde!   Créditos de imagem: https://www.google.com.br/search?q=l%C3%A1grima+e+tes%C3%A3o&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwij3YKb3bHWAhVGFJAKHe0ECjcQ_AUICigB&biw=1600&bih=794#imgrc=kdhDZDq1ZRiMEM:

Poesias e Poemas

Não Engula

Extraia com a boca o suco, E para ele dê qualquer rótulo, Descreva qualquer sabor, Mas não engula, Mantenha na sua língua e devolva na minha, Espalhe pelo meu corpo, Num mapa de poros que respiram você, Agora, deixe-me transitar pelo seu busto, Pela saliência pigmentada tão peculiar, Deixe-me espalhar o mesmo suco, Misturado e quente, Depois roubá-lo de ti para secar-lhe a boca, Sim, é a sua saliva que quero sorver, Porque é um suco que não se contém na sua, mas na euforia da minha!   Créditos de Imagem: https://www.google.com.br/search?q=beijo+molhado&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiszfW5w5vWAhXKlJAKHf0CCl0Q_AUICygC&biw=1600&bih=794#imgrc=OOmQF8o9cxsQ2M:  

Poesias e Poemas

Posso Morrer Agora

Eu já poderia morrer agora… Porque conheci os amores… Todos eles… Amores incondicionais… amores verdadeiros, Amores diferentes e de muitos prazeres Amores doloridos como flechas de arqueiros, Amores perigosos, amores proibidos, Amores chorosos e que amam umbigos…   Eu já poderia morrer agora… Não porque vivi os infinitos, Mas porque vivi infinitamente a limitação humana… E nessa condição, percorri o pecado e seus mitos… Defendi a retidão na escuridão tão estranha… Caminhei num pesar de coração cambaleante e cego.. E tudo que descobri foi o troféu amargo como triunfo do meu ego..   Eu já poderia morrer agora… E nos braços do meu amor, encontraria repouso… Num pouso da vida desregrada, pois ouso… E sempre quis ser assim, caminhar na ética imoral E não ser um mal aprisionado à conduta moral… Fingindo entender e viver como qualquer amoral… Mas atravessa-la como a luz embeleza o vitral… Eu já poderia morrer agora… E não quero morrer amanhã… Pois o encanto não passará desta hora.. E o seu coração acordará de manhã.. Eu não quero viver agora… Pois morrerei de manhã…. E nos atos enceguecidos… Não contestarei os gemidos!   Créditos de imagem: https://www.google.com.br/search?biw=1600&bih=794&tbm=isch&sa=1&q=morrer+&oq=morrer+&gs_l=psy-ab.3…119687.119687.0.119877.1.1.0.0.0.0.0.0..0.0….0…1.1.64.psy-ab..1.0.0.z9V8z4_PgEw#imgrc=Ot-0Kuru_vGb6M:  

Poesias e Poemas

Gozo

Entorpecido, Com vinho, Não… Com mágica, Num olhar misterioso, Não ocioso, Como se quisesse engolir, Inteiro, Meus sentidos, No meu paladar, Molhado, Um gosto de prazer, Indizível, tremido, Nos gritos de baixo calão, Nas posições oralmente trocadas, Sem pudor, sem medo, sem regra, E quem pudera, Encontrar as palavras, E mil maneiras, De gozar por ela! Crédito de imagem: https://www.google.com.br/search?biw=1600&bih=794&tbm=isch&sa=1&q=mordendo+os+labios&oq=mordendo+os+&gs_l=psy-ab.1.0.0l4.29712.31567.0.33098.12.12.0.0.0.0.203.1676.0j11j1.12.0….0…1.1.64.psy-ab..0.12.1673…0i67k1.RgwZR2Cl1_M#imgrc=E9rlkPGRe159hM: